Destaques

2020-01-22
As propostas apresentadas para a construção da proteção de emergência do Porto das Lajes das Flores já se encontram em fase de apreciação, dando-se, assim, seguimento ao compromisso assumido pelo Governo dos Açores de avançar com a proteção intermédia desta infraestrutura portuária de forma célere, a fim de garantir melhores condições de abastecimento por via marítima. 

A obra visa a proteção, de forma imediata, do terrapleno portuário e do Cais -5m (ZH) do Porto das Lajes das Flores, permitindo garantir a operacionalidade deste cais, nomeadamente o abastecimento à ilha a efetuar pelo navio “Malena”.

 

Entre as obras consideradas de emergência, destaca-se o reforço do troço inicial do molhe, que constitui uma das prioridades definidas pela empresa Portos dos Açores, já que visa garantir as condições de segurança necessárias para utilização do terrapleno portuário e da estrada de acesso ao porto.

 

A intervenção abrange um troço de cerca de 175 metros de comprimento e envolve a construção de um novo muro, paralelo ao muro-cortina atual, a cerca de 80 metros de distância, bem como a reconstrução do coroamento do muro cortina em cerca de 110 metros.

 

O objetivo definido pela Portos dos Açores para esta intervenção é o “reforço do troço inicial do molhe para proteção do terrapleno e da estrada de acesso”.

 

Esta intervenção tem como objetivo garantir a operacionalidade do Cais -5 m (ZH), que deve assegurar o abastecimento às Flores e, indiretamente, ao Corvo, enquanto não for reconstruído o molhe-cais.

 

Recorde-se que, em outubro, a Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas anunciou a contratação, por parte da Portos dos Açores, de trabalhos de projeto para, “não só pensar na solução a longo prazo, mas, sobretudo, pensar numa solução a curto prazo, porque o porto deverá sofrer uma obra intermédia, que permita precisamente que a operação continue a realizar-se, com as capacidades que a ilha necessita e que exige, e a obra definitiva, que levará mais tempo”.

 

Apesar de integradas nas denominadas obras de emergência, no âmbito dos prejuízos decorrentes da passagem do furacão Lorenzo, pretende-se que estas obras venham a ser integradas na empreitada de reconstrução do molhe-cais, passando, assim, a obras definitivas, com uma previsão de vida útil igual à de uma obra de abrigo de um porto comercial aberto a todo o tipo de tráfego que, de acordo com as recomendações para obras marítimas, é de 50 anos.

GaCS/SRTOP/HB
2020-01-21

A Portos dos Açores SA está presente na BOOT maior feira de náutica de recreio da Europa. Em Dusseldorf, Renânia do Norte. Promover as Marinas dos Açores e a notoriedade do destino está também na nossa missão. As estadias em Marinas sob jurisdição da Portos dos Açores têm registado um incremento significativo nos últimos anos um pouco por via da promoção feita. Não é, certamente, alheio a este crescimento o facto da Marina da Horta ter uma notoriedade internacional de meter inveja à grande maioria dos nossos concorrentes.

Manter esse nível de notoriedade e promover os portos de recreio dos Açores é uma missão indispensável para o crescimento sustentável do sector do turismo na Região.

2020-01-20

A Portos dos Açores SA. Adjudicou a reparação dos pilares nascentes do cais de passageiros do Porto de Vila do Porto, à empresa Marques SA.

A reparação que vai agora ter início enquadra-se no conjunto de reparações urgentes decorrentes dos efeitos da passagem do furacão “Lorenzo” e insere-se no plano de manutenção preventiva das estruturas portuárias dos Açores.

A agitação marítima verificada aquando da passagem do furacão “Lorenzo” pelas ilhas dos Açores, em outubro último, provocou danos, uns visíveis e outros ocultos, nas estruturas de muitos dos portos e marinas dos Açores. O Porto de Vila do Porto foi fustigado com ondas que atingiram, os 17 metros e ventos que atingiram, em períodos longos, os 75 km/hora e rajadas até 100 km/hora.

Das inspeções efetuadas posteriormente, às zonas molhadas do Porto, zonas abaixo do zero hidrográfico e obras acima desse, resultou a constatação de que os pilares nascentes da cabeça do Cais de Passageiros do Porto de Vila do Porto haviam perdido base de suporte.

Tendo em conta a importância que aquela infraestrutura representa para a segurança no interior da baia e a relevante e preponderante função dos Portos dos Açores no desenvolvimento do bem-estar das populações residentes, entendeu a Portos dos Açores SA proceder, com caráter de urgência, à reparação dos pilares afetados prevenindo assim que o mar dos próximos invernos venha a causar danos irreparáveis.

 

 

NB-Portos dos Açores, S.A.

2020-01-17

Rebocador Pero de Teive da Portos dos Açores em cumprimento de serviço publico na Ilha do Corvo.

Depois de um pequeno contratempo e de ter enfrentado condições de mar alteroso e tempestuoso, o Rebocador Pero de Teive, da Portos dos Açores SA. está já na pequena Ilha do Corvo a descarregar gasóleo para abastecimento daquela ilha, nomeadamente para a produção de eletricidade.

1 2 3 6