Depois da escala técnica na Horta o vencedor da ARKEA Ultim Challege-Brest cruzou, esta manhã, a linha de chegada.

 

Equipa da Portos dos Açores da Horta envolvida na assistência ao trimaram GITANA 17  – Vencedor da ARKEA Ultim Challenge-Brest 

Considerada como a “Regata do século”, no dia 7 de janeiro de 2024, largou da cidade de Brest na França a primeira edição da Arkea Ultim Challenge-Brest e cruzou hoje, 27 de fevereiro de 2024, a linha de chegada nesta mesma cidade.

Destinado aos gigantes dos mares, como são denominados os trimarans da Class Ultime (32 metros de comprimento, 23 metros de largura e uma área velica de aproximadamente 650 m2), este evento disputa-se em solitário num percurso à volta do mundo de oeste para leste com passagem pelos cabos da Boa Esperança, Leeuwin e Horn, totalizando cerca de 40.000 Km.

Devido à situação geoestratégica do Arquipélago dos Açores, normalmente quando se realizam regatas ao largo no Atlântico Norte, a Portos dos Açores é contactada pelas organizações ou pelas equipas participantes nesses eventos, no sentido de precaver possíveis escalas técnicas para reparação das embarcações.

Um dos participantes nesta regata, é o Gitana 17, um maxi trimaran propriedade do Grupo Edmond de Rothschild, que a título de curiosidade, envolveu os arquitetos e os técnicos mais credenciados da atualidade, como é o caso do arquiteto Guillaume Verdier e o gabinete de estudos Gitana que despenderam cerca de 35.000 horas em estudos e projetos e 170.000 horas na construção da embarcação.

Nesta regata o Gitana 17 é capitaneado pelo Charles Caudrelier, detentor de um invejável curriculum onde se destacam as vitorias nas regatas:

– Solitaire du Figaro 1999 (1er bizuth);

– Solitaire du Figaro 2004;

– Transat Jacques Vabre (2009, 2013);

– Volvo Ocean Race (2011-2012 // 2017 – 2018);

– Marin de l’année 2018;

– Rolex Fastnet Race 2019;

– Brest Atlantiques 2019;

– Drheam Cup 2020.)

Aquando da sua escala na Horta, encontrava-se na liderança da regata e com uma enorme distância para o segundo classificado, desta feita Thomas Coville a bordo do Sodebo, decidiu fazer a escala técnica na Horta para se abrigar de uma depressão com forte atividade situada a norte dos Açores e reparar algumas avarias na sua embarcação.

Consequentemente, na passada terça-feira dia 20 de fevereiro a Marina da Horta foi contactada pelo Pierre Tissier, diretor técnico do team Gitana, informando que se iria deslocar à cidade da Horta, acompanhado por uma equipa de 8 elementos para efetuar algumas reparações no barco e que para tal necessitava que lhe fossem garantidas a disponibilidade de meios humanos e uma série de equipamentos para o efeito.

Prontamente e como é nosso apanágio, a Portos dos Açores aceitou o desafio e disponibilizou todos os meios solicitados para que a operação ocorresse com toda a segurança e no menor período possível uma vez que a embarcação se encontrava em regata.

Na quarta-feira dia 21 de fevereiro, pelas 6:00h o Gitana 17 entrou no canal Faial-Pico onde aguardou pela chegada da sua equipa técnica para dar início à manobra de acostagem da embarcação no Porto da Horta.

O maxi trimaran atracou na Marina da Horta por volta das 11:00h tendo sido feita de imediato uma inspeção geral a toda a embarcação e diagnosticadas todas as avarias existentes.

A operação mais complexa foi a retirada de um dos foils do flutuador de estibordo e consequente instalação de um estaleiro improvisado junto ao edifício de controlo da marina para serem executados os devidos trabalhos de reparação.

Para alem da Portos dos Açores estiveram envolvidos nesta operação, o Clube Naval da Hora e diversas empresas locais que contribuíram para o sucesso da mesma.

Concluídas todas as reparações com sucesso e aproveitante uma “pequena janela” meteorológica, sábado dia 24 de fevereiro por volta das 9:45 h o Gitana 17 zarpou da Marina da Horta retomando o seu rumo em direção à linha de chegada da regata, situada na rade de Brest onde foi aguardado vitoriosamente hoje, terça-feira dia 27 de fevereiro.

Tendo em conta a cobertura mediática e as divulgações nas redes sociais, direcionadas para uma regata desta natureza, esta jornada foi sem dúvida mais um excelente contributo para a promoção da nossa Região.