Notícias

2020-10-08

Amanhã, dia 9 de outubro, o Terminal das Portas do Mar volta a receber uma escala técnica para abastecimento, protagonizada, desta feita, pelo navio de cruzeiros Disney Wonder. Será a primeira vez que escala o recente empreendimento portuário, mas em julho de 1999 já tinha visitado Ponta Delgada, aquando da viagem de entrega ao armador.

Com 300 metros de comprimento, 32 metros de boca e 84 mil toneladas de arqueação bruta, encontra-se em viagem transatlântica posicional entre Port Canaveral e Brest, na França.

Saliência para o facto de não transportar passageiros, apenas 444 tripulantes que vão permanecer a bordo durante a estadia na nossa cidade.

Mais uma vez, e tendo em conta o contexto atual, a Administração Portuária irá diligenciar todas as medidas para que esta escala decorra normalmente e no cumprimento das regras de segurança em vigor.

O Disney Wonder deverá atracar pelas 8 horas, zarpando quando forem 15 horas.

 

2020-10-02

A Portos dos Açores SA, vem por este meio esclarecer que, contrariamente a noticias veiculadas por um órgão de comunicação social, a escala do navio de cruzeiros Celebrity Apex, agendada para este sábado, dia 3 de outubro, em Ponta Delgada, é uma escala técnica para abastecimento e não visita turística. Saliência para o facto do referido paquete não transportar passageiros, apenas 112 tripulantes que vão permanecer a bordo durante a estadia na nossa cidade, cumprindo, assim, as resoluções emanadas do Conselho de Governo açoriano, que não permitindo as habituais visitas turísticas, possibilita escalas técnicas com o intuito de se efetuar abastecimentos, salvaguardando a proibição de desembarque de qualquer elemento que se encontre a bordo.

Mais uma vez, e tendo em conta o contexto atual, a Administração Portuária irá diligenciar todas as medidas para que esta escala decorra normalmente e no cumprimento das regras de segurança em vigor.

O Celebrity Apex deverá atracar cerca das 9 horas, zarpando pelas 17 horas.

2020-09-23

A Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas visitou as obras de construção da rampa roll-on/roll-off e de melhoria da operacionalidade e abrigo do Porto das Pipas, em Angra do Heroísmo, e os estaleiros, na Praia da Vitória, onde estão a ser fabricados os caixotões para o prolongamento daquele porto, que serão transportados por via marítima até Angra do Heroísmo.

Ana Cunha salientou que já estão a decorrer obras no Cais -8, adiantando que vão também começar as obras no Cais -5, com a remoção de cabeços, para substituição por cabeços com maior capacidade, por “uma questão de segurança e adaptação à nova realidade marítima”.

A Secretária Regional destacou ainda “uma grande parte da obra marítima que decorre para lá do Cais -8, que é para onde crescerá o Porto das Pipas, que são os trabalhos de submersão dos caixotões”.

Este é um trabalho executado por mergulhadores, na prospeção e sinalização do fundo do mar, onde assentará o prolongamento do cais.

“Os caixotões estão a ser executados na Praia da Vitória, vindo para Angra do Heroísmo por via marítima, onde são colocados, submergidos”, acrescentou.

Esta empreitada tem uma duração de 24 meses, tendo sido iniciada no final de julho, princípio de agosto, com um valor aproximado de 14 milhões de euros.

Ana Cunha adiantou que os trabalhos estão a decorrer “dentro da normalidade”, acrescentando que “estamos ainda no verão, portanto goza do favorecimento do tempo, estando a decorrer conforme o planeado”.

Questionada sobre o impacto das obras no transporte marítimo de passageiros, a Secretária Regional adiantou que, após os condicionamentos causados pela pandemia da COVID-19, e por razões de saúde pública, as linhas Lilás e Branca decorreram com normalidade, acrescentando que “as obras que são realizadas a montante condicionam um pouco a operação do navio, mas no embarque e desembarque dos passageiros não houve constrangimentos”.

Ana Cunha sublinhou que esta é uma das maiores obras a decorrer nos portos dos Açores, sendo uma das “mais significativas”, mas frisou que há obras “praticamente em todos os portos da Região neste momento”.

“Umas que já estavam regularmente previstas no Plano de Investimentos do Governo dos Açores, como é esta, outras que, infelizmente, e por razões inesperadas, designadamente pelos danos provocados pelo furacão Lorenzo, tiveram que ser planeadas e estão já a ser realizadas”, afirmou a Secretária Regional.

GaCS/HB

 

 

2020-09-10

O Presidente do Governo presidiu hoje à cerimónia que marcou o arranque das obras de construção do novo Terminal de Passageiros do Porto de São Roque do Pico, um investimento de cerca de quatro milhões de euros que se enquadra na “reconfiguração global” das condições de transporte marítimo de passageiros na Região.

“Esta é uma obra que se reveste de especial importância, não apenas para a ilha do Pico, e que faz parte de uma reconfiguração global das condições de transporte marítimo de passageiros que, quer ao nível de infraestruturas, quer ao nível dos equipamentos, aconteceu na nossa Região”, afirmou Vasco Cordeiro.

Na cerimónia de lançamento da primeira pedra da obra, o Presidente do Governo salientou que a conjuntura atual, relativa aos efeitos da pandemia de COVID-19, “não retira importância e atualidade a este investimento”, que vai permitir “revolucionar por completo” as condições de que vão usufruir os passageiros que utilizam este porto.

“O significado deste investimento não se esgota, porém, no Pico, porque a sua realização não pode ser desligada do que está a acontecer” no âmbito da pandemia, adiantou Vasco Cordeiro, ao sublinhar que a “Região está a prosseguir, simultaneamente, duas agendas”.

“Uma agenda que tem a ver com os efeitos da pandemia e com a necessidade de, ao nível dos serviços públicos, desde logo, da Educação e da Saúde, criar as condições para dar segurança aos Açorianos. E uma outra agenda, estrutural, que tem numerosos exemplos na área do transporte marítimo, na área rodoviária e das infraestruturas, prosseguindo a requalificação da Região do ponto de vista das condições para o funcionamento da sua economia”, afirmou.

Segundo disse, prosseguir estas duas agendas em simultâneo requer um “esforço do ponto de vista de recursos financeiros, mas também da mobilização da capacidade de execução da Administração Regional, numa perspetiva mais vasta, para garantir a sua concretização”.

“É isso que a Região tem feito, garantindo-se que, até ao limite das nossas competências e dos nossos recursos, estas duas agendas prosseguem em simultâneo”, assegurou Vasco Cordeiro.

Depois de recordar que os Açores enfrentam uma situação que, ao nível da saúde pública e dos impactos na economia, “poucos jugariam possível que acontecesse há poucos meses”, o Presidente do Governo destacou o “sentido muito claro de prioridades”, no que tem a ver com os destinatários da ação do Executivo.

“Colocamos os Açorianos no topo dessas prioridades, na defesa da sua saúde, mas também mobilizando os recursos para que a economia, as empresas e os trabalhadores tenham as condições para ultrapassar, com o menor incómodo possível, este tempo de tormenta”, salientou o Presidente do Governo.

De acordo com Vasco Cordeiro, a obra do novo Terminal de Passageiros de São Roque do Pico simboliza, assim, essa capacidade de confiar no futuro e de “acreditar que temos hoje de preparar todas e cada uma das nossas ilhas para estes melhores tempos que virão, face à conjuntura atual que vivemos”.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro considerou ainda que o arranque desta obra “fala, não apenas do investimento em si mesmo, mas, sobretudo, de determinação, de persistência e de compromisso”.

“Apesar da melhoria das condições de funcionamento do Porto de São Roque do Pico ser uma ideia já muito acalentada e com a qual estamos já comprometidos há bastante tempo, o facto é que condicionalismos de diversa ordem, todos eles de natureza técnica, levaram a que esta fosse uma intervenção particularmente analisada, com especial detalhe”, disse.

“Aliás, isso até levou a que se duvidasse se a obra era para avançar, mas cá estamos mais uma vez, em função dessa determinação, dessa persistência e desse compromisso. Cerca de um ano depois da apresentação do estudo prévio, não estamos a apresentar o projeto, mas sim a iniciar a obra”, afirmou o Presidente do Governo.

Esta nova infraestrutura terá uma área de implantação de quase 760 metros quadrados, com valências até agora inexistentes, como sejam salas de desembarque e de processamento de bagagem, posto de turismo, sala de segurança e controlo de acessos, entre outras.

Ao nível exterior, além das estruturas de abrigo, o terminal de passageiros aumentará substancialmente o número de lugares de estacionamento, que passarão de 17 para 76, criando também zonas para viaturas de turismo, para autocarros e táxis.

1 2 3 11